Santa Irene, alva sob o sol

A primeira vez que eu vi Santorini, branca era a cor que pairava. O dia estava apenas nascendo. Mas a história já ia longe no tempo(A). O vilarejo parecia debruçado sobre um beiral, à nossa espera. Como uma namoradeira, que espera e suspira na janela – referência mineira como nós somos. A sensação, no silêncio…

No encalço do Sol

Sentadinhos no banco do ponto de ônibus, nós estávamos. À nossa volta, pouca coisa: atrás umas pousadas cujos fundos eram pequenos ancoradouros, muitos barcos e mar, à frente a estrada, do outro lado dela, uma casa com parreiras tão fartas e uvas tão perfeitas sobre a garagem que cheguei a imaginar se não seriam falsas,…

Um pouco mais sobre céu, terra e mar

“Na era romana, as ilhas Jônicas foram o primeiro local de veraneio do país,” diz o Guia Visual que nos acompanha. E deve continuar sendo. Isso explica porque naquele ônibus entre Atenas e Lefkas só encontramos gregos e apenas um casal de franceses, pelo visto acostumados com esse trajeto há muitos verões. Acredito que a…

Kalimera, honeybunny, kalimera!

Sentados no ônibus em direção a Nydri, um lugarejo qualquer perdido na beira do Mediterrâneo grego, começamos a divagar coisas que talvez tivéssemos que ter pensado muito tempo antes. Quem são as pessoas que viajarão por sete dias conosco, dormindo, acordando, comendo, tomando sol, tudo isso num espaço ínfimo de onde só se foge se…

As OUTRAS ilhas gregas

Antes de contar a história das Ilhas Jônicas nesta viagem por céu, terra e mar, eu preciso antes colocar um pouquinho de contexto. Como meus amigos mais próximos dizem, minha frase é “Deixa eu explicar!”. Então, peço que, neste momento, você me dê a mão e entraremos em flashback: a tela de repente fica esfumaçada…

Figuras do mundo: Mochileiras da mídia

Aqueles viajantes sem-destino sempre exerceram fascínio enorme em mim. Não glorifico sua vida errante, não condeno a falta de lar. Apenas admiro a coragem de colocar uma mochila nas costas e sair pelo mundo, algum pouco dinheiro no bolso, quem sabe uma data de volta – ou não, sem roteiro, sem parar. Alguns têm tempo…

Guardando a ordem. Ou guardando o riso?

Manter a ordem, gerar respeito, trazer segurança, guardar a vida, o patrimônio, a cultura. Não seria para isso que as Guardas servem? Pelo menos eu pensaria que sim. Mas esse último item parece prevalecer sobre todos os outros em alguns casos. E, assim, observar o trabalho desses Guardas, em determinados lugares do mundo, chega a…

Ruínas de ontem, ruínas de hoje

Sempre que estou a caminho de uma cidade com muita história para contar, fecho os olhos por um momento e começo a imaginar. Quem vai me contar essa história? As construções em pé ou as ruínas? As pessoas pelas ruas e seus costumes, suas roupas, sua língua, suas manias, ou as pessoas enceradas em um…

Do pé ao topo, dos turistas aos deuses

Antes de amanhecer nesta cidade que só vimos ainda no escuro, e ainda assim já revelou tantas surpresas, quero contar uma história sobre como e com quem chegamos lá. ********* O longo e cansativo trajeto BH-Roma terminou depois de quase um dia de viagem e ainda faltava um último trecho: Roma-Atenas, pela Alitália. Ainda no…

Uma noite histórica

Quando eu vi Atenas pela primeira vez, perdi o fôlego. Confesso que já esperava que isso fosse acontecer desde que me apaixonara pela História. Num dos livros mais marcantes da minha vida, O Dia do Curinga, pai e filho fazem uma viagem de carro que passará por Atenas. O pai fala para o filho sobre…